Uma igreja relacional é o caminho para o discipulado que se movimenta na premissa de uma liderança multiplicadora bem formada. Joel Comiskey disse: “a menos que os membros dos pequenos grupos se convertam em líderes de pequenos grupos, poucos frutos duradouros vão permanecer. As igrejas não fazem colheita por terem pequenos grupos elas fazem a colheita porque tem trabalhadores para fazer a colheita. Igrejas que não tem nenhum plano para formar líderes, planejam por omissão, perder a colheita”

É uma mudança de paradigma do eventual para o relacional. O eventual foca em programas e o relacional foca em princípios. A igreja com princípios está reunida em um prédio que abriga um conjunto de programas que ocupam um número pequeno de membros enquanto a maior parte da igreja se torna consumidora em assistir e avaliar esses programas.

Os programas são necessários e devem acontecer para glorificar a Deus e cumprir a Grande Comissão e não ser um fim em si mesmo. Os programas devem existir em função dos princípios.

A mudança de paradigma de programas para princípios leva-nos a passos diferentes do convencional como: sonhar com a diferença que podemos fazer multiplicando líderes eficazes; demonstrar o discipulado com a própria vida; o discipulado é transmissão de verdade e vida. A igreja relacional tem o seu foco nas pessoas para edificá-las e prepará-las para a multiplicação.

Outros passos como o incisivo desejo de descobrir novas pessoas e aprofundar o relacionamento com elas; Jesus chamou os doze para estarem com Ele: Eles comeram, caminharam, ministraram e “acamparam ao ar livre” muitas vezes juntos e Jesus disse-lhes que os amava e os chamou de amigos. Ele desenvolveu com os discípulos um relacionamento.

A Igreja relacional está fundamentada na formação de pessoas que investem em relacionamentos saudáveis. Relacionar-se é conviver, passar tempo juntos. O relacionamento é a base do discipulado e para tanto, precisamos rever os nossos conceitos e reafirmar os valores bíblicos em que nos detemos, como verdade absoluta.

Relacionar-se no discipulado é a pratica intencional de formar discípulos por meio do convívio pessoal. O discipulado é vida na vida. É interação dos membros da igreja e o resultado é uma igreja relacional.

De seu pastor e amigo
Washington Luiz da Silva

Share