Todavia, ao olhar para os nossos dias podemos perceber algumas deturpações do ideal de Deus para sua Igreja. Vemos a privatização da fé, onde Pai nosso se tornou meu Pai. O venha a nós o vosso reino se tornou em vinde a mim. O pão nosso, tornou-se meu pão. O exercício da fé visando alcançar interesses particulares e egoístas. O cristianismo e o evangelho se tornaram em um produto. O culto perdeu sua característica comunitária e passa a ser celebrado de forma isolada, egoísta visando sempre obter algo ao invés de entregar e compartilhar algo. Os cargos da igreja são vistos como possibilidades para autorrealização e autopromoção. Muitos servem não pela alegria de servir, mas pelo desejo de receber. Não há preocupação e cuidado com a vida do outro. O grande perigo dessa postura é que se eu olho para igreja de forma privada e egoísta sou atraído por muitas coisas, menos pela Palavra, que é o próprio Cristo.

Mas, se a igreja é o corpo de Cristo isso significa que ela (a Igreja) deve ser uma expressão visível e clara de Deus neste mundo e na comunidade que está inserida. Como igreja, devemos viver de tal forma que o mundo seja capaz de ver em nós o próprio Cristo. Sendo assim, O PROPÓSITO SUPREMO DA IGREJA É: SER A IMAGEM VISÍVEL DO DEUS INVISÍVEL NA CRIAÇÃO (Gn 1.27). O propósito prioritário da Igreja não é missões, evangelismo, ação social e sim a expressar glória de Deus. Ela é o veículo prioritário da manifestação de Deus no mundo. Diante desse fato, podemos concluir que, a igreja não existe para satisfazer nossos interesses individuais e egoístas. Não foi criada para o nosso bem estar acima de tudo. Não foi criada para servir aos nossos propósitos. A igreja é a noiva e o corpo de Cristo e foi criada por Ele mesmo para seu supremo propósito. Sendo assim, não posso projetar na igreja as minhas vontades, sonhos e ideais. O propósito da igreja não é ser imagem e semelhança de nenhum homem. Devemos nos unir, para sermos a imagem clara, visível e sem deturpações de Deus neste mundo.

O mundo olhará para nós e terá uma imagem de Deus. Se um não cristão olhasse para nós hoje, como vivemos igreja, qual seria a imagem de Deus que ele teria? Deus é muito conservador e Brando? Ele é um ditador espiritual para ovelhas passivas? Ele está sempre sorrindo e tentando ser aceito pelas pessoas? É um Deus ríspido e distante, o tipo de Deus que não gosta particularmente de pessoas? Ele é um mestre-de-cerimônia celestial que preside os gritos, as danças e os aleluias? Ele é um Deus que deseja apenas o bem estar financeiro? Será que as pessoas verão um Deus desorganizado? Ou ele é ultraorganizado? Será que um Deus que se impressiona com o terno e a gravata e com vestimentas elegantes, ou Ele está a vontade, com jeans e camiseta?
“A forma visível da igreja local, revela o Deus que ela serve para o mundo.” Scott Horrel.

Autor desconhecido

Share